12 de junho de 2015

Ela Não Foi A Primeira (Mas...)



Ok, eu sei, ela não foi a primeira.
Não que tenham muitas que a precederam, mas para esse povo ansioso em fazer estardalhaço por qualquer coisa, isso pode ser uma informação bombástica. Logo, a polêmica estaria lançada a partir daí.
ESTARIA.
Estaria porque ela pode não ter sido a primeira a me causar suspiros apaixonados, ou a primeira que me beijou ou que me iniciou na arte do sexo. Ela é a primeira que me faz me sentir um homem. Melhor, homem não, no máximo um garoto de doze anos com barba e emprego público. Mas um garoto de doze anos com barba e emprego público bem melhor do que eu era há um tempo atrás, e é isso que importa.
O porquê dessa sensação, em teoria, é simples, mas na prática, é como achar agulha no palheiro. Mas é por isso que ela é especial: pela primeira vez na minha vida sinto que estou numa relação amorosa madura. Sem guerras de ego, sem ciúme doentio,  sem brigas por nada, sem chantagens emocionais, sem tantas coisas ruins que minam as relações amorosas. Claro, não é perfeito. Talvez seja mais culpa minha do que dela o fato de não ser perfeito, pois sou distraído, lento, até mesmo egoísta sem perceber. Mas é ela quem não deixa a peteca cair.
Quantas vezes eu quis só dar um "até logo!" e sumir da vida dela, por achar que eu não estava à altura da mulher que ela é (e algumas "bad trips" de vez em quando tentam ainda me convencer disso). Não só pensei, já fiz! Fora outras trapalhadas que, se ela contabilizasse, ela teria um verdadeiro "Dossiê Flavio", dividido em fascículos. Mas ela, diferentes de muitas outras, nunca se aproveitou dos meus erros para me chantagear. Ela prefere que eu aprenda. E é dessa forma que acho que de um tempo para cá sou um homem melhor.
O amor, meus amigos, vocês sabem, é danado de volátil. Hoje nos amamos, amanhã pode ser quer não. Mas meu amanhã de uns tempos para cá parece que só tem uma certeza: ter ela ao meu lado. Se eu estiver enganado, lembrarei desse período em que estivemos juntos com um carinho imensurável. Mas algo me diz que dessa vez, estou certo, ela será minha última. E se é para valer, que nosso amor dure para sempre. 
Soraya, Te Amo!

3 comentários:

Tiago Mendes disse...

Owwnnnnn :´-)

Anônimo disse...

Fico realmente feliz que tenha encontrado um relacionamento saudável e equilibrado. O amor é realmente bom quando é correspondido e nos faz querer ser alguém melhor.

Susan Barbosa disse...

Oinnnnnnnnn!
Muitas felicidades para vocÊs!
beijooo

Creative Commons License
Um Blog de Nada by Flavio Braga Mota is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.
Based on a work at umblogdenada.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://umblogdenada.blogspot.com.