8 de outubro de 2013

Poeta, Esse Fingidor!







"Poeta, seu mentiroso!
Pra quê todo esse alvoroço
em torno de algo que não sentes?"
Pergunta o incauto,
que muito por alto
leu uns poeminhas e pensa
que pode sair julgando a obra alheia.

Meu caro,
não raro
o poeta só é bom fingidor
porque antes de fazer rimas
ele sofreu de amor.
Traz consigo a experiência
de amores perdidos
de adeus a entes queridos
de cofres vazios
de azar no destino
e tudo o mais que você possa imaginar.

Então, sabichão
o poeta não é um fingidor:
o coitado é um pobre sofredor
que transforma sua dor
em poemas tristes.

Rio, 6 de Outubro de 2013.

Nenhum comentário:

Creative Commons License
Um Blog de Nada by Flavio Braga Mota is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Compartilhamento pela mesma Licença 2.5 Brasil License.
Based on a work at umblogdenada.blogspot.com.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://umblogdenada.blogspot.com.